Política
Economia
Esportes
Entretenimento
Concursos
Downloads
  • Ilhotas Padaria
  • Secretaria Estadual de Saúde
  • Grupo CEV (atualizado 29-07)
  • ITTNet
  • Campanha Pró Piauí
  • SESAPI Dengue
Postada em 25/05/2018 ás 09h45 - atualizada em 25/05/2018 ás 10h38
Fonte: Com informações da Agência Brasil

Caminhoneiros do Piauí seguem parados mesmo depois de acordo com o governo

Os terminais de petróleo que atendem Teresina seguem bloqueados por caminhoneiros.
Caminhoneiros do Piauí seguem parados mesmo depois de acordo com o governo
Paralisação continua na Tabuleta nesta sexta-feira. Foto: Edenilton Filho / Cidade Verde

Os caminhoneiros seguem parados no Piauí mesmo com o acordo acertado na noite de ontem (24) entre o governo federal e representantes da categoria. A paralisação entra no 5º dia. Os terminais de petróleo que atendem Teresina seguem bloqueados por caminhoneiros e motoristas do Uber.

Pelo acordo firmado ontem à noite entre o governo e representantes dos caminhoneiros, a paralisação seria suspensa por 15 dias. Em troca, a Petrobras mantém a redução de 10% no valor do diesel nas refinarias por 30 dias, enquanto o governo costura formas de reduzir os preços. A Petrobras mantém o compromisso de custear esse desconto, estimado em R$ 350 milhões, nos primeiros 15 dias. Os próximos 15 dias serão patrocinados pela União. 

O governo também prometeu uma previsibilidade mensal nos preços do diesel até o fim do ano, sem mexer na política de reajustes da Petrobras, e vai subsidiar a diferença do preço em relação aos valores estipulados pela estatal a cada mês. 

Outra forma de redução negociada pelo governo seria de zerar a Contribuição de Intervenção no Domínio Econômico (Cide) para o diesel até o fim do ano. O governador do Piauí, Wellington Dias já descartou esta possibilidade. 

Para cumprir a proposta de previsibilidade mensal nos preços do diesel até o fim do ano, o governo precisará negociar com o Congresso o projeto aprovado ontem na Câmara que zera o PIS/Cofins para o diesel. A ideia - apresentada nessa quinta-feira - é que o tributo não seja zerado, mas usado para compensar a Petrobras em tempos de alta no valor do barril do petróleo e para manter os preços estáveis. 

Quanto ao Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS), que já tem projeto de alteração tramitando no Senado, o governo também precisaria negociar com os governadores, pois se trata de um imposto estadual. Segundo o ministro da Fazenda, Eduardo Guardia, a discussão será sobre a alteração do cálculo desse imposto, que varia de acordo com o preço do combustível. Ou seja, se o diesel aumenta, o ICMS também aumenta. 

A decisão de suspender a paralisação, porém, não é unânime. Das 11 entidades do setor de transporte, em sua maioria caminhoneiros, que participaram do encontro, uma delas, a Associação Brasileira dos Caminhoneiros (Abcam), que representa 700 mil trabalhadores, recusou a proposta. 

Os representantes dos caminhoneiros pedem o fim da carga tributária sobre o óleo diesel. Eles contam com a aprovação, no Senado, da isenção da cobrança do PIS/Pasep e da Cofins incidente sobre o diesel até o fim do ano. A matéria foi aprovada ontem pela Câmara e segue agora para o Senado. Caso seja aprovada, a isenção desses impostos precisará ser sancionada pelo presidente da República.

Comentários
Economia
TV Clube Notícias
Facebook

Teresina - PI

Obtido às 07:59

23º

Min 23º Max 34º

Alguma nebulosidade

69% 13 km/h Fonte: Climatempo
  • Amarração Hotel (atualizado 31-07)
Clube Notícias - Piauí, Teresina, Meio Norte, Nordeste, Parnaíba, Picos, Campo Maior, Piripiri, cotidiano, economia, política, saúde, educação e entretenimento
© Copyright 2020 - Clube Notícias - Todos os direitos reservados
desenvolvido por: Site desenvolvido pela Lenium