Política
Economia
Clube Entretenimento
Entretenimento
Concursos
Downloads
Postada em 29/03/2021 ás 14h20 - atualizada em 29/03/2021 ás 16h24

Mulheres Que Inspiram: Luana Chaib na linha de frente contra o Coronavírus

Luana Chaib hoje está na linha de frente no combate ao Coronavírus.
Foto: Arquivo Pessoal

A mulher que se descobriu na medicina por influência do pai e da mãe hoje trabalha em dois grandes hospitais de Teresina e tem o próprio consultório. Luana Chaib hoje está na linha de frente no combate ao Coronavírus. Nessa pandemia, considerada pela Organização Mundial da Saúde (OMS) maior emergência global de saúde, o trabalho dos médicos está sendo essencial.

Os rostos, as mãos e as vozes que recebem os pacientes nos centros de emergência dentro dos hospitais em sua maioria são femininas. Elas estão ocupando as funções de médicas, nutricionistas, fisioterapeutas, enfermeiras, psicólogas, enfermeiras, terapeutas ocupacionais.

Segundo dados do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA) durante a pandemia, a participação médica na luta contra a Covid-19 contou com a atuação e 47,5% de mulheres. Em relação à prática de enfermagem, o quadro feminino representa, aproximadamente, 85%. Luana Chaib representa esses números que ganham contornos femininos no combate a pandemia.

“Estar na linha de frente para mim foi um grande desafio. Eu tive um crescimento muito grande pessoal e profissional. Eu já tive muitos sentimentos, mas hoje eu procuro não pensar tanto, e tentar, na verdade, contribuir com o meu conhecimento, que eu aprendi e desenvolvi durante toda a pandemia”, revela a profissional que divide sua semana em três postos de trabalho.

Há mais de um ano, a OMS decretava a pandemia mundial do novo Coronavírus. País se mobilizavam para controlar a doença até então desconhecida até mesmo pelos profissionais da medicina. “A experiência e o aprendizado até com os outros pacientes, por ser uma doença incerta, vai nos deixando muito mais seguros em relação a forma de conduzir todos os pacientes”, explica a médica.

Trabalhar diretamente com as pessoas que estão infectadas significa se envolver com a história de cada uma que confia no médico as esperanças para uma recuperação. É no ambiente hospitalar, que os médicos escutam, ouvem e aconselham sobre o diagnóstico. Luana Chaib relata um triste momento durante a pandemia.

“Eu tive a perca de um casal. A esposa faleceu em uma semana, e o marido faleceu uma semana depois. E eles eram pais de uma amiga. Então, me deixou bastante triste, na época, mesmo sabendo que era uma doença incerta e que eles eram pacientes graves. Perder pacientes jovens, pais de família, sempre me marcam muito”, conta.

Até a redação desta reportagem, o Consorcio de Veículos de Imprensa contabiliza mais de 310 mil mortes de brasileiros. Uma triste realidade que muda nossa forma de viver e pensar. Se para nós que não estamos diretamente combatendo a doença, então para esses profissionais as mudanças são intensas.

Desde o começo da pandemia eu precisei trabalhar muito mais do que eu trabalhava. Eu tive que mudar praticamente tudo. E o fato de eu ser mulher e mãe teve um peso muito grande para mim. Passei até que me reinventar, e ter tempo, para me dividir entre o trabalho e os meus filhos. Foi uma parte mais desafiadora nessa pandemia”, conta médica que também é mãe de três filhos e precisou se adaptar para manter também os familiares seguros.

Adaptação é algo que todas precisaram fazer para se manterem em espaços que há muito tempo era dominado por homens. “Já conseguimos muitas coisas. Acho que os preconceitos já diminuíram em uma grande escala, apesar de ainda existir. A mulher ainda é vista como frágil. Eu acredito que ainda temos muito o que conquistar pela frente. Mulher significa ser diversificada. Ter capacidade de ser mãe, esposa, filha, profissional, e ela exercer com maestria todas as funções ao mesmo tempo”, diz Luana.

A mãe é uma das inspirações para a médica ser quem ela é hoje. “Ela fez medicina, e largou no ultimo ano para cuidar dos filhos, mas, ela conseguiu criar, educar, todos os filhos, e depois ainda conseguiu se devolver na área profissional. Hoje ela é uma grande empresária. Conseguiu vencer na vida mesmo tendo deixado o curso por conta dos seus filhos. Em seguida, ela correu atrás, foi em busca de um sonho, e hoje ela é muito bem-sucedida”, afirma Luana, que teve a mãe como espelho.

Eu desejo inspirar outras mulheres com o meu trabalho. Mostrando que com força, dedicação, abdicação, muito conhecimento, e estudo, você com certeza você vai conseguir alcançar seu objetivo. Basta que você persista no que você está almejando e sonhando. O conselho que eu dou é perseverança. Sempre olhe buscando o topo. Nunca se subestime e busque sempre o seu melhor”, afirma Luana Chaib, uma mulher que inspira.

Comentários
Mulheres Que Inspiram!
  • O Boticario - Banner lateral
  • Lateral - Vem pro parque - Home 03
Teresina - PI
Atualizado às 20h24
27°
Alguma nebulosidade Máxima: 33° - Mínima: 24°
31°

Sensação

6 km/h

Vento

89%

Umidade

Fonte: Climatempo
  • Amarração Hotel (atualizado 31-07)
Podcast Momento Jurídico
  • Ban - Lateral - Momentos Cidade Junina
Facebook
Clube Notícias - Piauí, Teresina, Meio Norte, Nordeste, Parnaíba, Picos, Campo Maior, Piripiri, cotidiano, economia, política, saúde, educação e entretenimento
© Copyright 2021 - Clube Notícias - Todos os direitos reservados
desenvolvido por: Site desenvolvido pela Lenium
Envie-nos uma mensagem!WhatsApp