Política
Economia
Clube Entretenimento
Entretenimento
Concursos
Downloads
Postada em 17/07/2021 ás 19h34 - atualizada em 17/07/2021 ás 20h30

Emojis: imagens que valem mais que mil palavras

Elas são um fenômeno cultural, presente na comunicação do dia a dia e estão mudando a forma de nos expressarmos. Hoje, dia 17 de julho é comemorado o Dia do Emoji.
Emojis: imagens que valem mais que mil palavras
Foto: Divulgação/Adobe

Em conversas por meio de redes sociais muitas vezes perdemos a capacidade de perceber e expressar uma característica da comunicação humana: as expressões faciais e sentimentos que demonstramos diante das mais diversas situações. Mas com o avanço da tecnologia, uma solução para isso logo foi adaptada e aceita pelos internautas.

Para transmitir uma emoção, quem nunca recebeu ou enviou uma mensagem via smartphone ou em conversas virtuais nas redes sociais usando um coração, uma mão de “joinha”, as palmas ou até carinha feliz amarela? Uma pesquisa de 2014 do Google descobriu que a palavra mais escrita via SMS ou chat não era exatamente uma palavra, mas um desenho de coração vermelho. De acordo com a empresa, a imagem e suas variações aparecem bilhões de vezes por dia pelo mundo. 

E tem para todo o tipo de gosto e situação: comidas, animais, transportes, pessoas, sentimentos. Todos esses desenhos coloridos que aparecem como opção no seu teclado são chamadas de “emojis”, imagens que representam graficamente qualquer objeto, expressão, ideia ou conceito.

“De acordo com os estudos linguísticos, a linguagem é o mecanismo que utilizamos para transmitir nossos conceitos, ideias e sentimentos, tratando-se de um processo de interação. Logo, o Emoji é uma forma de linguagem, pois são símbolos (textos não verbais) que representam uma palavra, uma ideia ou, até mesmo, uma frase, caracterizando-se como um tipo de comunicação”, explica a professora de Língua Portuguesa, Hellen Fontenele.

Elas são um fenômeno cultural, presente na comunicação do dia a dia e estão mudando a forma de nos expressarmos. Hoje, dia 17 de julho é comemorado o Dia Mundial do Emoji.

 

Emoticon versus Emojis

O emoji é uma forma de linguagem pictográfica em mensagens de texto que surgiu no Japão na década de 1990, criado por uma companhia telefônica como a intenção de deixar as mensagens de texto mais divertidas e emocionais. O termo é resultado da união das palavras nipônicas para imagem, escrita e caractere e em 2015, foi incluído no vocabulário oficial do dicionário Webster.

Pacote com primeiros emojis foi criado em 1999 — Foto: Reprodução/Kickstarter

O emoji pode ser considerado como uma evolução do emoticon? A resposta é sim! O termo ‘emoticon’ veio justamente da ideia de emoção (palavras inglesas emotion que significa ‘emoção’ e icon ‘ícone’). Eles surgiram nos Estados Unidos em 1982 a partir de sequências de caracteres do teclado padrão, tais como :-) ou :-(. Foram muito usados em programas de chat como o MSN Messenger e ICQ. 

A primeira biblioteca de emojis reuniu 176 imagens com 12 x 12 pixels de resolução, tendo em comum a capacidade de expressar as emoções humanas em “carinhas”.  São caracterizados por pertencerem a uma biblioteca de figuras prontas, que podem ser traduzidas como “pictogramas”.

Contudo, a professora Hellen Fontenele fala que mesmo tendo encontrado terreno fértil, a comunicação por símbolos não é uma situação específica da atualidade. “A comunicação por símbolos é bem mais antiga em relação ao uso de símbolos na internet, em especial nas redes sociais. Uma placa de sinalização, obras de arte (pinturas), expressões faciais, entre outros são exemplos de comunicação por meio de símbolos, ou seja, ocorre quando há a interação do texto não verbal. O uso de símbolos e sinais gráficos e o advento da internet fez com que surgissem os emoctions na comunicação entre as pessoas. Tempos depois, eles foram “aprimorados” dando origem aos emojis. Portanto, os emojis fazem parte da nossa comunicação nas redes sociais devido a essa potencialização da internet. Atualmente, por exemplo, os gifs acompanham os emojis na comunicação entre as pessoas nas redes sociais”. Conta.

 

Emoji, linguagem e interações

Olhando para o passado vemos que as primeiras formas de representação do homem, assim como de linguagem, foram as pinturas rupestres em cavernas. “A linguagem tem origem nas necessidades sociais dos seres humanos, a comunicação, e as representações usadas para as trocas linguísticas, para referir-se ao mundo englobando meios linguísticos e outros sistemas semióticos (signo e significado), e é isso é próprio às ações humanas que envolvem propósitos e significados. Não é uma situação específica da atualidade”, conta a professora e linguista, Maria Angélica de Carvalho.

Em meio a isso, muitos críticos acreditam que os caracteres empobrecem a linguagem e não conseguem transmitir a complexidade e riqueza de um assunto. De acordo com uma pesquisa da empresa Talk Talk, 72% dos jovens entre 18 e 25 anos consideram mais fácil usar o emojis para expressar sentimentos em uma conversa. E a conexão com a psicologia humana não para por aí. Segundo um estudo da Universidade da Califórnia, nos EUA, o emoji também traz uma sensação psicológica de intimidade e proximidade na esfera virtual, uma maior conexão com o outro. Outra situação na qual o emoji se encaixa é que este é muitas vezes usado para reforçar um tom de voz ou sentido de uma ideia e até para quando não se tem mais nada a dizer, mas ainda necessária uma comunicação.

A estudante Taís Melo costuma usar emojis com recorrência em suas conversas principalmente para comunicar o sentimento no momento que digita a mensagem. “Eu gosto muito se usar porque acho que fica mais expressivo. Por que as vezes eu escrevo com uma entonação e a pessoa ler com outra. Então as vezes eu uso só pra não parecer grosseira”, diz.

A estudante Karol Araújo tem 17 anos e utiliza bastante emojis e figurinhas nos diálogos. Ela diz que essa é uma forma de comunicação rápida. “Os emojis e figurinhas são todas diferentes e tem conversa que dá pra usar”. Apesar de usar os dois recursos, a adolescente fala que prefere as famosas figurinhas.

As figurinhas, ou sticker, utilizadas popularmente no WhatsApp e Telegram, viraram febre nos grupos e conversas privadas do Brasil. “Algumas figurinhas vêm de memes, mas nem todas conhecem ou acham engraçadas. Uso figurinhas literalmente a qualquer assunto, se der pra encaixar as que eu tenho, eu uso sim, até em momento sério”, revela Karol.

Ambas usam recursos que vão além do textual, pois acreditam que a maioria das pessoas entendem o recado que querem passar por meios destes símbolos. Elas também concordam em um ponto: o uso com equilíbrio. “Não uso quando falo com pessoas que não tenho muita intimidade”, explica Taís.

Hellen Fontenele conta que como educadora sente em muitos casos uma preocupação com o mau uso da língua portuguesa. “O internetês é válido para momentos informais como uma forma de linguagem virtual. E é isto que as pessoas devem saber: há momentos em que utilizamos a linguagem formal (como concursos, provas, currículo, etc.) e outros em que usamos a linguagem informal (uma conversa por rede social, uma reunião com a família, etc.); é importante lembrar que também há diferença quanto à oralidade e escrita. A norma-padrão da língua portuguesa deve ser utilizada preferencialmente na escrita em ambientes formais. Logo, há espaço tanto para o internetês quanto para a norma-padrão da língua portuguesa, apenas deve-se saber quando e como utilizá-las”, pontua.

Já para a linguista Maria Angélica de Carvalho, o emprego linguístico dos emojis, também se revela na celeridade característica da comunicação na contemporaneidade, no qual o tempo é quase sempre determinante.

“Se o aluno domina as diferentes formas de uso da língua e de seus registros (formal, culto, semiformal, informal) não há o que 'temer' em relação ao emprego do “internetês”. Cada ambiente exigirá um registro da língua e um comportamento linguístico específico, e o aluno deverá saber empregar a língua observando as condições de uso e com quem se está falando”, ressalta Maria Angélica.  

 

Você sabia?

Poucos sabem, mas desde 2017, a Emojipedia realiza o World Emoji Awards, premiação anual que reconhece os ícones/emojis mais utilizados no mundo, com direito a cerimônia oficial e tudo!

A votação é realizada por meio de estatísticas, e são analisados os números de visitas às páginas dos emojis na Emojipedia, e também por votação no Twitter. Participam da competição todos os emojis lançados no ano anterior. Em 2020 por exemplo, os favoritos do público na categoria “Emoji que mais representa 2020” são a mão preta com punho cerrado impulsionada pelas publicações relacionadas ao movimento “Black Lives Matter (Vidas Negras Importam)”, e o emoji de micróbio, geralmente utilizado para se referir ao coronavírus.

A Emojipedia também elencou que o emoji mais utilizado do mundo é a carinha chorando de rir, seguida pela carinha chorando copiosamente e a carinha de súplica . Na lista também aparecem o coração vermelho, mãos postas, polegar para cima e rosto pensante. Em 2019, a carinha mais usada no Brasil foi o rosto com olhos de coração.

Comentários
Ciência e Tecnologia
  • O Boticario - Banner lateral
  • newland
  • Lateral - Vem pro parque - Home 03
Teresina - PI
Atualizado às 07h09
24°
Poucas nuvens Máxima: 37° - Mínima: 23°
24°

Sensação

6 km/h

Vento

89%

Umidade

Fonte: Climatempo
  • Amarração Hotel (atualizado 31-07)
Podcast Momento Jurídico
Facebook
Clube Notícias - Piauí, Teresina, Meio Norte, Nordeste, Parnaíba, Picos, Campo Maior, Piripiri, cotidiano, economia, política, saúde, educação e entretenimento
© Copyright 2021 - Clube Notícias - Todos os direitos reservados
desenvolvido por: Site desenvolvido pela Lenium
Envie-nos uma mensagem!WhatsApp