Política
Economia
Esportes
Entretenimento
Concursos
Downloads
  • Grupo CEV
  • SESAPI Dengue
  • Secretaria Estadual de Saúde
  • Colegio St Marcelina
  • ITTNet
  • Ilhotas Padaria
  • Campanha Pró Piauí
Postada em 20/09/2019 ás 10h01 - atualizada em 20/09/2019 ás 10h28

Lei A. Tito Filho investe mais de R$ 700 mil em projetos culturais de Teresina

Criada em 1993, a lei já possibilitou o financiamento de centenas de projetos em várias áreas, o que tem contribuído para incrementar o cenário cultural da cidade

Um dos projetos de incentivo cultural mais importante da cidade está se reestruturando e promete incrementar ainda mais o cenário artístico piauiense. Criado pela Prefeitura de Teresina por meio da Fundação Monsenhor Chaves, a Lei A. Tito Filho já investiu mais de R$ 360 mil nos projetos aprovados no último edital, e serão aplicados mais R$ 340 mil ainda neste ano, totalizando mais de R$ 700 mil. A previsão é de quitar todos até o início do próximo ano.

O último edital da Lei A. Tito Filho aprovou 35 projetos, que começaram a ser pagos em 2018 com recursos do Tesouro Municipal. De acordo com o coordenador da Lei, Jairo Cezar Sherlock, a prioridade foi com os de valores mais baixos. “Já foram pagos 14 projetos de diversas áreas, alguns inclusive já foram executados, com a prestação de contas aprovadas, ou estão em fase de execução. A previsão é passar parte de 2019 ainda pagando uma parte significante e no início do ano que vem finalizarmos todos, inclusive de valores mais altos. E os recursos estão sendo diretos do Fundo Municipal de Cultura, sem o intermédio das empresas que apoiam”, explica.

No total, o último edital da Lei A. Tito Filho previu um montante de quase R$ 1 milhão para investimento em várias áreas da cultura como dança, teatro, música, literatura, artes visuais. Desse valor, estão sendo pagos pouco mais de R$ 700 mil até o fim do ano, e o restante em 2020. “Os valores menores foram pagos na sua totalidade, o que dá mais agilidade para o artista seguir com os seus projetos”, acrescenta Jairo.

A escritora Renata Flávia foi uma das beneficiadas pelo projeto com seu livro Lustre de Carne, lançado neste ano pela Lei A. Tito Filho. Para ela, o projeto é de grande importância para os artistas que não conseguem tirar suas produções da gaveta por falta de recursos. “A Lei é indispensável para aqueles artistas que precisam fazer sua arte circular, mas ainda não possuem os meios. Sua abertura de incentivo a todas as artes coloca a cidade em movimento, gera visibilidade e autoestima ao artista. É de extrema importância, principalmente no cenário que temos em Teresina, esse impulso”, destaca.

A LEI

A Lei A. Tito Filho (Lei nº 2.194) foi criada em 1993 e já possibilitou o financiamento de centenas de projetos em várias áreas, o que tem contribuído para incrementar o cenário cultural da cidade.

A Lei recebeu esse nome em homenagem ao Professor Arimatéa Tito Filho, escritor, que foi membro da Academia Piauiense de Letras e grande incentivador da produção e valorização da cultura teresinense. Ela contempla as áreas de música, teatro, dança, cinema, fotografia e vídeo, literatura, folclore, artesanato, artes plásticas, patrimônio histórico, cultural e natural, de natureza material e imaterial, bem como pesquisas nas áreas referidas. O objetivo do incentivo é a exibição, utilização e circulação pública dos bens culturais deles resultantes.

Comentários
Geral
TV Clube Notícias
Facebook

Teresina - PI

Obtido às 16:12

34º

Min 22º Max 34º

Poucas nuvens

36% 13 km/h Fonte: Climatempo
  • Amarração Hotel
#ConselhoDoDia
Clube Notícias - Piauí, Teresina, Meio Norte, Nordeste, Parnaíba, Picos, Campo Maior, Piripiri, cotidiano, economia, política, saúde, educação e entretenimento
© Copyright 2020 - Clube Notícias - Todos os direitos reservados
desenvolvido por: Site desenvolvido pela Lenium