Política
Economia
Clube Entretenimento
Entretenimento
Concursos
Downloads
Postada em 09/09/2021 ás 09h56
Fonte: Estadão Conteúdo

Governo de São Paulo estuda aplicar 4ª dose contra covid em transplantados

A medida sob análise tem como base um estudo desenvolvido com 12 mil pacientes que já passaram por transplante.
Governo de São Paulo estuda aplicar 4ª dose contra covid em transplantados
Foto: Divulgação/agencia brasil

O governo de São Paulo estuda aplicar a quarta ou até a quinta dose de vacina contra covid-19 em pessoas transplantadas, grupo que responde menos à proteção dos imunizantes e é mais suscetível a desenvolver quadros graves da doença. A informação foi confirmada por integrantes do Comitê Científico nesta quarta-feira, 8, em anúncio sobre medidas contra a pandemia.

A medida sob análise tem como base um estudo desenvolvido com 12 mil pacientes que já passaram por transplante. Como resultados anteriores já apontaram menor proteção nessas pessoas, mesmo com o esquema vacinal completo, o grupo tomou a terceira dose de Coronavac antes mesmo de começar o reforço para idosos.

Integrante do Comitê, o médico José Medina afirmou que cerca de 21% dos participantes do estudo teriam contraído o coronavírus em algum momento da crise sanitária. "A cada quatro pacientes transplantados que adquirem covid, um morre. Isso é dez vezes maior comparado à população geral", disse. "É o grupo de pessoas que tiveram o resultado mais catastrófico da pandemia."

Segundo Medina, o estudo teria constatado, ainda, que a resposta contra a doença no grupo foi menor em comparação com trabalhadores de saúde, populações imunizadas na mesma época. "Nos funcionários, a soroconversão -- ou seja, a formação de anticorpos com a primeira dose -- foi de 79%. Nos transplantados, só 15%."

Já na segunda dose, a resposta teria sido de 98% para a população geral e de apenas 45% entre os transplantados. Com o reforço, subiu para 53%. "Por isso, agora a nossa proposta é fazer reforço com a quarta dose, talvez até com uma quinta dose, para aquelas pessoas que não tiveram resposta adequada", disse Medina.

Ainda segundo o médico do Comitê, o estudo pretende fazer a comparação do resultado da Coronavac com outros tipos de imunizantes. "Nos pacientes transplantados que receberam a primeira e a segunda dose de outras vacinas - da Pfizer, da Astrazeneca ou da Moderna -, a resposta foi tão precária quanto à da Coronavac."

A médica Eloisa Bonfá, diretora clínica do Hospital das Clínicas e integrante do Comitê, disse que o resultado ruim "não tem a ver com o tipo de vacina". "Tem muito a ver com medicações que impedem a resposta imune", disse. "Com isso, temos de reinventar e buscar alternativas."

 

Comentários
Saúde
  • Lateral - Vem pro parque - Home 03
  • newland
  • O Boticario - Banner lateral
Teresina - PI
Atualizado às 22h27
31°
Alguma nebulosidade Máxima: 39° - Mínima: 24°
34°

Sensação

6 km/h

Vento

55%

Umidade

Fonte: Climatempo
  • Amarração Hotel (atualizado 31-07)
Podcast Momento Jurídico
Facebook
Clube Notícias - Piauí, Teresina, Meio Norte, Nordeste, Parnaíba, Picos, Campo Maior, Piripiri, cotidiano, economia, política, saúde, educação e entretenimento
© Copyright 2021 - Clube Notícias - Todos os direitos reservados
desenvolvido por: Site desenvolvido pela Lenium
Envie-nos uma mensagem!WhatsApp