Política
Eleições 2018
Economia
Esportes
Entretenimento
Concursos
Postada em 20/06/2018 ás 23h28 - atualizada em 21/06/2018 ás 06h44

TCE desvenda maior escândalo financeiro do Governo do Piauí

Governo não teria pago e desviado R$ 324 milhões de empréstimos consignados de servidores.
TCE desvenda maior escândalo financeiro do Governo do Piauí
Imagem ilustrativa.

O Tribunal de Contas do Estado (TCE) deve desvendar nos próximos dias um dos maiores escândalos financeiro do Governo do Estado do Piauí. O Tribunal investiga o não pagamento de mais de R$ 324 milhões que deveriam ter sido pagos pelo Governo do Piauí aos Bancos que fizeram empréstimos consignados à servidores do Estado, porém não receberam do Governo.

Em suma, o dinheiro vem sendo descontado mensalmente dos contracheques dos servidores estaduais que ‘pediram’ dinheiro emprestado de instituições financeiras, porém, o dinheiro descontado do contracheque, na modalidade empréstimo consignado, não vem sendo repassado para os bancos. Ou seja, o Governo está agindo de má fé se apropriando de um dinheiro que não lhe pertence, além disso, causa enorme prejuízos aos seus servidores que agora estão com os nomes negativados (sujos no SPC/Serasa), porque as instituições estão recebendo o ‘calote’ do Governo.

O problema seria tão grande, que nos bastidores da política, se especula que com a aproximação da investigação do TCE, o próprio secretário estadual da Fazenda, Rafael Fonteles, já pediu para ser exonerado cargo. O que já aconteceu na publicação do Diário Oficial do Estado no último dia 19 de junho de 2018.

Caso seja comprovado o desvio e apropriação indébita dos R$ 324 milhões descontados dos contracheques dos servidores e não repasse aos bancos, o Governo e os gestores envolvidos podem ser enquadrados no artigo 168 do Co?digo Penal, tipificado como apropriação indébita.

O que já foi observado é que a obrigação por parte do prestador (os bancos) foi cumprida, na?o  tem respaldo legal a suspensão dos empenhos por parte do Governo. Com isso, o caso requer uma avaliação criteriosa, uma vez que a Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF) na?o autoriza, nem incentiva a quebra de contratos celebrados (suspensão/cancelamento dos empenhos) entre a Administração Pública (Governo) e seus fornecedores e prestadores de serviços (bancos).

Parte do Relatório do TCE

O relatório do TCE sobre o caso, ressalta que vale observar que a responsabilidade na gestão fiscal é observada com ação planejada e transparente (LRF, em especial art. 1o, §1o e 2o), evitando-se condutas como cancelamento de despesas para regularização posterior mediante manifestação expressa de eventuais interessados que se sentissem prejudicados.

Em razão disso, tem-se que a conduta adotada pelos gestores da Secretaria de Fazenda (SEFAZ-PI) e Secretaria de Administração e Previdência (SEADPREV-PI) violaram os princi?pios da legalidade, moralidade administrativa e transparência da gestão puública, aleém de não ter respeitado:

a) o direito adquirido com a liquidac?ão de despesa caracterizada como RPP (art. 5o, XXVI da CF/88, c/c arts. 36, 66 e 63 da Lei no 4.320/63 c/c art. 67 do Decreto Federal no 93.872/1986);

b) os princiípios pacta sunt servanda e boa fé objetiva, que são princípios da teoria geral dos contratos e disposições de direito privado, mas aplicados supletivamente às cláusulas e preceitos de direito público de contratos administrativos (art. 54 da Lei no 8.666/93 c/c arts. 421, 422 e 2.035 da Lei no 10.406/2002 – Código Civil).

Ademais, no caso de consignações retidas em folha, não há sequer que se falar em verificação de direito adquirido pelo consignatário.

O Estado, nestes casos, e? depositário e responsável pelo repasse de recursos de terceiros retidos em folha que a ele não pertencem, cuja condição se implementa com o processamento da folha de pagamento do Estado aos credores.

Tal conduta é passiível de apurac?aão e tipificac?ãoo pelos demais órgãos de controle, inclusive na esfera criminal (art. 168 do Código Penal – Apropriac?a?o indeébita).

Comentários
Política
TV Clube Notícias
Facebook

Teresina - PI

Obtido às 23:23

28º

Min 22º Max 34º

Nublado

6:2 am 5:54 pm 48% 17.70 km/h
RAPIDINHAS
Postada em 11/05/2018 ás 08h38

O Piauí é um dos estados que apresentaram maior crescimento nos gastos com a previdência de servidores, entre 2005 e 2016. Os dados, divulgados por Estadão, são de um levantamento realizado pelo economista piauiense Raul Velloso. O estudo aponta ainda que neste período, os gastos dos estados - na média - cresceram até 111%, chegando aos R$ 163 bilhões no último ano. Além do Piauí, Sergipe e Santa Catarina também registraram aumentos consideráveis nos gastos com a previdência. Os dados completos do estudo serão apresentados em um fórum nacional nesta quinta-feira (10).

Postada em 09/05/2018 ás 08h26

Não houve acertadores para as seis dezenas do concurso 2.038 da Mega-Sena, realizado nesta noite (8), em Maravilha (SC). As dezenas sorteadas foram: 06 – 25 – 26 – 35 – 38 - 40. O prêmio estimado era de R$ 28 milhões. A estimativa de prêmio do próximo concurso, que ocorre na próxima quinta-feira (10), é distribuir R$ 30 milhões. A Quina teve 28 apostas ganhadoras, e cada um vai levar R$ 65.960,70. Outras 2.768 pessoas ganharam na Quadra, com prêmio de R$ 953,18 para cada.

Postada em 06/03/2018 ás 09h53

Há exatos 5 anos, no dia 6 de março de 2013 morreu o cantor e compositor da banda Charlie Brown Jr, Chorão. Fãs prestam homenagem na Internet ao ídolo.

Postada em 22/02/2018 ás 10h20

A Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) atualizou, nesta sexta-feira (16/02), os dados do setor de planos de saúde que são disponibilizados para consulta na Sala de Situação. Os números relativos a janeiro confirmam a tendência de estabilidade que vinha sendo observada ao longo de 2017, com leve crescimento tanto no comparativo mensal como no comparativo dos últimos 12 meses. São 47,4 milhões de beneficiários em planos médico-hospitalares no país, 119,5 mil a mais que o número registrado em dezembro e cerca de 64 mil a mais em relação a janeiro do ano passado.

Postada em 22/02/2018 ás 10h19

Com o objetivo de supervisionar e assegurar o exercício legal da profissão, o Conselho Regional de Administração do Piauí (CRA-PI) realizou a fiscalização em 75 empresas no último ano. Ao todo, foram arrecadados mais de R$ 12 mil em multas aplicadas.

Clube Notícias - Piauí, Teresina, Meio Norte, Nordeste, Parnaíba, Picos, Campo Maior, Piripiri, cotidiano, economia, política, saúde, educação e entretenimento
© Copyright 2018 - Clube Notícias - Todos os direitos reservados
desenvolvido por: Site desenvolvido pela Lenium